“É preciso desmontar parte do aparato estatal gordo e ineficiente que só atrapalha os produtores que geram riqueza”, disse o engenheiro agrônomo e doutor em administração pela Universidade de São Paulo (USP), Marcos Fava Neves, durante palestra na abertura do III Fórum Estadual do Agronegócio, que começou nesta sexta-feira (15), em Passo Fundo (RS).

Ao lembrar da safra brasileira de grãos recorde de 2017, com 237,6 milhões de toneladas, Fava Neves disse que o país vive um momento positivo e que é a hora de todos os produtores rurais serem otimistas, mesmo com os empecilhos existentes.

Em sua palestra, moderada pelo engenheiro agrônomo mestre Luiz Gustavo Floss, Fava Neves salientou a importância da mudança nas atitudes dos brasileiros, quando comparada a de outros países. “Estava na África do Sul há pouco tempo e a agenda deles é muito parecida com a nossa, de greves, bloqueios, invasão, de terceiro mundo. Os americanos e europeus já são de inovação, abrir os mercados, sustentabilidade.”

Para ele, o Brasil precisa abandonar a agenda de greves, bloqueios, crimes e o Estado inchado. Ele destacou ainda que não é necessário tabelamento de preços no Brasil, porque isso o mercado define. “Devemos, sim, trabalhar nos custos, para que sejam diminuídos e a margem de lucro do produtor aumente.”