04 Indicadores essenciais para analisar a Saúde Financeira da sua fazenda

Artigos
Raphael Ivan 17/07/2019 10:46

Nós sabemos que estar à frente de uma empresa é uma posição desafiadora e, quando se trata de uma empresa rural, a céu aberto, o desafio pode ser ainda maior. Por entender essas dificuldades, neste artigo irei falar sobre 4 indicadores fundamentais para seu negócio agrícola.

Recomendo que você faça acompanhamento desses indicadores ao menos uma vez na semana, para que não tenha nenhum imprevisto, muito menos tenha um prejuízo durante o ano safra.


Mas antes, deixa eu te explicar um pouco sobre a importância dessas avaliações da gestão agrícola.

Porque acompanhar a gestão agrícola de perto

Hoje o produtor rural trabalha com uma enorme gama de informações e variáveis que dificultam uma boa gestão agrícola. Como expliquei no artigo onde falo sobre o porquê você deve enxergar sua fazenda como uma empresa, a gestão agrícola vem para facilitar a sua lucratividade com base em dados reais. Fatores como clima, valor da commodity e valorização cambial transformam a produção agrícola em uma atividade de alto risco e, por isso, a gestão é fundamental para diminuir as chances de prejuízo ao final da safra. O alto número de informações com as quais os produtores rurais precisam trabalhar também pode ser um problema. Isso porque, muitas vezes, fica difícil entender quais dados devem ser priorizados em relação aos outros. Se preocupar com aplicações, colheitas, maquinários, fretes e pessoal são só algumas das questões que acabam consumindo muito tempo do gestor agrícola, dificultando a priorização correta de informações – e impactando a saúde do seu negócio. Estando à frente da eAgro, pude acompanhar diversos produtores que possuíam o domínio da produção, sabiam de seus detalhes mas não sabiam nada quando o assunto era o seu negócio agrícola. Este é cenário muito comum no Brasil: Somos ótimos produtores, mas nos envolvemos pouco quando o assunto é a gestão empresarial de nossas propriedades. As margens de lucro estão cada vez menores e muitos produtores estão perdendo dinheiro e diluindo seu patrimônio sem ao menos ter entendimento disso. Então agora, vamos aos quatro indicadores que você deve acompanhar para estar a par da saúde da sua empresa rural.

Os 4 principais indicadores de saúde da sua empresa rural.

Custo Operacional Efetivo

Este talvez seja o indicador mais comentado entre os produtores e ao mesmo tempo o que sofre maiores distorções com a realidade. E trabalharmos com informações erradas é pior do que trabalhar sem nenhuma informação. Este indicador é o mais importante e o que precisa de mais atenção, pois além de sinalizar como está o desempenho da empresa rural, em algumas culturas, ele também é utilizado em ações políticas, tendo como base o custo médio nacional da cultura. Existem 3 formas de calcular o custo de produção: Custo Operacional Efetivo (COE), Custo Operacional Total (COT) e o Custo Total (CT); Neste artigo iremos destacar apenas o COE, pois o COT e CT sofrem alterações de acordo com o modelo de Gestão Agrícola. O Custo Operacional Efetivo é também conhecido como custo de desembolso. Para se calcular o COE você deve reunir todas as despesas com a operação durante o ano agrícola, tais como: uso de insumos, mão de obra, despesas com maquinários, despesas extras(contabilidade, internet, energia, etc.) e dividir o total pela quantidade produzida. Supondo que somando tudo, você tenha desembolsado R$500.000,00 durante o ano, e a produção de Café e tenha sido de 1530 sacas, você terá um total de custo operacional efetivo (COE) de R$ 326,00 por saca. COE = Custos Operacionais +  Despesas Extras / Total de Produção  Este indicador deve ser monitorado durante todo o ano agrícola, pois é ele que norteará o produtor sobre qual será o momento certo para vender sua produção. E o produtor, além de saber qual o seu custo de produção, precisará entender como ele foi formado. Tendo este fator em mente e sua construção, é possível encontrar gargalos na produção e obter diminuições significativas no valor total aumentando as chances de lucrar mais na venda. Existe uma máxima no mundo dos negócios que diz: “Custo é igual unha, é preciso cortar constantemente” Relatório de Custo de Produção da eAgro

Custo por Hectare

Este indicador, além de tornar possível a identificação de qual área está sendo a mais rentável, também permite que um acompanhamento constante com a média do mercado. Todo fim de ano são lançados estudos que mostram qual foi o custo médio por hectare da cultura que você produz. Ao fazer o comparativo com a média nacional e da sua região, você poderá descobrir se está com um bom desempenho ou se precisa melhorar. Para calcular o custo por hectare, o processo é bem parecido com a fórmula do Custo Operacional Efetivo, porém, ao invés de dividirmos o total de Despesas pela quantidade de produzida, dividiremos pela quantidade de Hectares necessários para realizar a produção. Supondo que somando tudo, você tenha desembolsado R$500.000,00 durante o ano, com a produção de Café e tenha produzido 1530 sacas utilizando 50 hectares produtivos, você teria um Custo por Hectare de aproximadamente R$ 10.000,00. Custo por Hectare = Custos Operacionais +  Despesas Extras / Área Produtiva  Relatório de Analises Por talhões da eAgro

Lucro e Margem de Lucro

Chegamos ao que realmente importa: Quanto de dinheiro sobrou no bolso? Este é o indicador que, se analisado por vários períodos acumulados, apresentará bem como está a saúde econômica e financeira de qualquer negócio, e no meio agrícola isso não é diferente. Para se calcular o lucro obtido por unidade produzida, pegamos o preço médio de vendas e subtraímos o custo médio operacional efetivo. Supondo que você vende suas sacas de café a um preço médio de R$ 450,00 e seu COE ficou em R$ 326,00, chegamos à conclusão de que você obteve um lucro de R$124,00 por saca. Esta é uma margem bruta de lucro de 38%. O que isso significa? Que para cada 1 real de investimento na produção, que compuseram seu COE, você teve um retorno de R$ 1,39. Uma margem razoavelmente boa para a atividade. Relatório de Vendas de Produção e COE da eAgro

Lucro por Hectare:

Este indicador visa avaliar a rentabilidade da cultura e seu comportamento de mercado. Ele possibilita ao gestor rural entender se a cultura tem uma boa rentabilidade por hectare plantado. É uma forma de entender qual será o seu rendimento, percentual e em reais, por hectare produtivo. Tomaremos  como referência os exemplos anteriores, onde você teria obtido um custo por hectare de R$ 10.000,00. Iremos calcular sua margem por hectare levando em consideração o quanto foi faturado com suas vendas. Supondo que você vendeu suas 1530 sacas produzidas pelo preço médio de  R$450,00 por saca, o faturamento bruto seria de R$ 688.500,00. Sabendo que o total de despesas foi de R$ 500.000,00 no ano, chegamos ao resultado lucrativo R$ 188.500,00. Se levarmos em consideração que foram utilizados 50 hectares para gerar este lucro, chegamos à conclusão de que seu lucro por hectare foi de R$ 3.770,00. Lucro por Hectare = (Receita total - Despesas Total) / Área Produtiva.Relatório de Analises por talhão e vendas  e COE da eAgro

Conclusão

Ao compreender que tais indicadores serão essenciais na hora de tomar decisões desafiadoras no mercado na hora da venda e planejamento para a próxima safra, fica fácil entender o porquê eles devem ser acompanhados de perto. Afinal de contas, eles estão diretamente ligados à sobrevivência do seu negócio e sua saúde financeira. Ter a chance de analisa-los de forma fácil e eficiente é um excelente primeiro passo para uma gestão eficiente. E não é difícil encontrar soluções que o auxiliem neste processo no mercado – o gerenciamento agrícola está cada vez mais facilitado com o uso de softwares que oferecem relatórios facilitados para sua análise. Mas conte pra nós,  você já faz o acompanhamento desses indicadores? Raphael Ivan - CEO eAgro



...
Raphael Ivan
CEO eAgro

Em 2010 fundei a minha primeira Startup, o MinhaCNH. Que era um Market Place para alunos de autoescolas, capacitando-os e gerando vouchers em mais de 300 Auto-escolas do país. Em 2013 fundei o que veio a ser o primeiro SAAS do Agronegócio Brasileiro, a eAgro(www.eagro.ag). Um ambiente de Gestão Agrícola, onde assumi como CEO em setembro de 2018.   Em agosto 2019 fiz meu primeiro investimento anjo, o Crop safe. Uma startup que está trazendo para o mercado um modelo inovador de como se faz manejo de pragas e doenças.